top of page
Buscar
  • Nutrição e Saude

Transtornos Alimentares em Crianças

Transtornos alimentares em crianças – uma nova realidade?



Quão bom era o tempo em que as crianças só se preocupavam com o brinquedo que teriam, os passeios que fariam e os novos amigos que encontrariam, e os adolescentes apenas se importavam com as provas, em ser aprovado no grupo de amigos ou dar seu primeiro beijo. Quando a idealização de corpo era ser como um super herói com poderes especiais, ou ter um futuro promissor viajando até o espaço. Hoje, crianças de apenas 6 anos já começam a se preocupar com peso e forma corporal, adolescentes ficam angustiados com o seu peso ou a remota possibilidade de ser tornar obeso, e muitos deles estarão insatisfeitos com seus corpos até completarem 18 anos.


Níveis cada vez mais crescentes de estresse, intimidação e a constante exposição a um padrão corporal irreal são alguns dos fatores que mais influenciam o risco do desenvolvimento do transtorno alimentar, acrescidos a isso, quadros cada vez maiores de depressão e ansiedade após o covid 19 impactam seu desenvolvimento.


As pressões de magreza, seja pela mídia, pelos pares e até familiares, fazem com que crianças e adolescentes busquem um padrão estético inatingível, mas que acreditam que possam alcançar, criando ilusoriamente suas histórias onde seus poderes especiais passam a ser conseguir fazer uma dieta nova, seguir uma personalidade nas redes sociais, e passar horas na frente do espelho buscando encontrar falhas em que se concentrar para reforçar ainda mais seu ideal de perfeição, gerando apenas baixa auto-estima e uma imagem corporal negativa. E mesmo que se queira reverter isso e mudar sua forma de pensar, o algoritmo o fará buscar cada vez mais imagens e comportamentos que são tidos como saudáveis, mas que na realidade os coloca em risco de vida.


Expectativas de futuro são criadas para gerar esperança, por isso, podemos cuidar para que o amanhã das crianças e adolescentes seja mais seguro, mais realista e com a vontade de ser apenas alguém que vive seu melhor, ou até mesmo conquistando o espaço!!



EATING DISORDER HOPE, 2023. Back to school time and eating disorders. Disponível em: https://www.eatingdisorderhope.com/blog/back-to-school-time-and-eating-disorders

EATING DISORDER HOPE, 2023. Eating Disorder Statistics: What the Numbers Reveal. Disponível em: https://www.eatingdisorderhope.com/blog/eating-disorder-statistics-what-the-numbers-reveal

BUCCHIANERI, M., et al., 2015. Body Dissatisfaction: Are associations with disordered eating and Psychological well-being similar in Adolescents from different Racial/ Ethnic Backgrounds?

BUCKINGHAM-HOWES, S. et al., Eating Behavior, 2018. BMI and disordered eating in urban, African American, adolescent girls: the mediating rolee of body dissatisfaction.

ORDAZ, D.L. et al., Science Direct, 2018. Thinness pressures in ethnically diverse college women in the Unidet States

CHENG, Z. H. et al., Eating Behavior, 2019 Ethnic differences in eating disorder prevalence, risk factors, and predictive effects of risk factors among Young women.



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page